Câmera de segurança com termômetro digital

Medidas tecnológicas contra a pandemia adotadas pela Radcom

29 de maio de 2020

“Trabalho essencial, mas não irresponsável. Nós da Radcom Alarmes estamos testando todos os colaboradores antes de suas jornadas de trabalho. Procuramos contribuir com a saúde de nosso País e de cada um de seus cidadãos, utilizando medidas tecnológicas contra a pandemia.

Confira uma pequena demonstração de tais medidas versus a COVID-19 em nosso Instagram, clicando aqui.

Tecnologia vs. COVID-19

Aliás, falando de COVID-19… Você já ouviu falar em câmeras termográficas? A princípio, estas são a resposta da alta tecnologia para o controle de pandemias como a que enfrentamos atualmente. Recentemente, um de nossos posts entrou nos detalhes da tecnologia e de sua utilização em todo o mundo – em primeiro lugar, afirmam-se os bons resultados obtidos com a tecnologia e, em segundo lugar, suas variadas formas de implementação.

A pandemia atual pode ter números assustadores, pode nos forçar a tomar medidas duras e difíceis; no entanto, uma coisa é certa: as medidas tecnológicas contra a pandemia são muito bem-vindas.

Entendendo os termos da pandemia

Pandemias são assustadoras, sim, e em diversos casos os governos devem tomar algumas medidas que, mesmo não agradando a todos, podem vir a ser extremamente necessárias: distanciamento social, quarentena e lockdown.

Para alguém não-iniciado em tais termos, podem até parecer a mesma coisa. No entanto, o fato de terem o mesmo conceito (isolamento) não os define como sendo iguais. Vamos, então, distingui-los?

O distanciamento social

Nada mais é do que uma recomendação (de médicos ou governantes) para tentar frear o contágio, tanto por isolar quem está contaminado ou por quem não o está.

No distanciamento social, apertos de mão, abraços, demonstrações de afeto e contato físico são desencorajados – instaura-se um limite mínimo de distanciamento entre indivíduos, por vezes fazendo uso de medidas tecnológicas contra a pandemia. Além disso, recomenda-se que as pessoas escolham um local no qual permanecerão durante todo o período de isolamento, podendo ser em sua casa, hotel, hospitais etc. Sair de casa não é expressamente proibido, porém a cautela e certos cuidados são necessários.

A quarentena

A princípio, entram em quarentena todas e quaisquer pessoas que tiveram contato com pacientes contaminados pelo vírus ou que tenham retornado de regiões afetadas. A exemplo disso podem se citar vários casos, um deles sendo a repatriação de brasileiros concentrados na China.

O período pelo o qual uma pessoa se submete à quarentena varia de acordo com as próprias características do vírus contaminante; no caso do SARS-CoV 2 (causador da COVID-19), o período de quarentena pode ser de até 14 dias. Durante esse tempo, é necessário ficar atento e observar quaisquer mudanças e sintomas que a pessoa venha a apresentar. Caso haja a confirmação da presença do vírus, a quarentena retardou sua propagação.

O lockdown

De todas as ações tomadas para evitar o contágio, o lockdown é a mais severa, sendo imposta pelo Estado (o qual conta, inclusive, com medidas tecnológicas contra a pandemia). Não obstante, esse estágio só é alcançado caso o distanciamento social e a quarentena demonstrem-se insuficientes para diminuir a contaminação.

No lockdown, fecham-se vias e locais públicos, além de privados. Mantêm-se abertos apenas estabelecimentos de fato essenciais, como mercados, farmácias e centros médicos hospitalares.

Cabe lembrar que um lockdown não é duradouro, mesmo que suas consciências se prolonguem por um determinado período de tempo.”

Fontes:

1. Dasa. https://dasa.com.br/blog-coronavirus/lockdown-coronavirus-significado. Acessado em 29/5/2020. Editado por Equipe Radcom.

2. Fleury https://www.fleury.com.br/noticias/conheca-os-diferentes-tipos-de-teste-para-covid-19. Acessado em 29/5/2020. Editado por Equipe Radcom.

Faça sua Cotação Online

Conteúdos Exclusivos

Fale pelo Whatsapp