Portaria virtual: desvantagens, comparada à portaria remota.

homem olhando diversos monitores em cabine de monitoramento
Portaria virtual: como funciona?
09/08/2019
Segurança eletrônica: que tipo de condomínio deve contar com esse serviço?
06/09/2019

Uma das principais desvantagens da portaria virtual é a falta de segurança

Hoje em dia, a segurança está sempre em pauta, seja em condomínios residenciais ou comercias, casas ou qualquer outro tipo de local. Quando saem na rua, as pessoas não podem garantir sua segurança, mas ao entrarem em casa ou no trabalho, a sensação de segurança é imediata. Mas será que a portaria virtual pode garantir essa segurança? Conheça portaria virtual: desvantagens, comprada à portaria remota.

Índice

1 – Como funciona a portaria virtual?
2 – Portaria virtual: desvantagens
  • Não identifica pessoas
  • Não possui registro de entrada e saída
  • Falhas técnicas
  • Sistema lento
  • Não garante a segurança
3 – Conheça a portaria remota
  • Acesso
  • Prevenção
  • Controle e registro de acesso
  • Pontos positivos

Devido às tecnologias, o porteiro se tornou substituível na portaria de condomínios, já que a administração desses locais estão sempre buscando por economia de custos. No entanto, a portaria virtual não é o que existe de mais recente quando o assunto é segurança eletrônica. Também por isso, acaba deixando brechas na segurança e na eficácia, quando o assunto é controle de acesso e autonomia.

Fazer uso da portaria virtual, é depender exclusivamente de dispositivos eletrônicos. Por isso, é importante saber exatamente como funciona esse recurso antes de aderi-lo. Principalmente quando houver algum tipo de problema, como queda de energia.

A portaria virtual funciona com a instalação de um sistema na portaria do edifício. Com esse sistema, os moradores acessam o condomínio usando tags ou a biometria. Assim, não existe mais um porteiro para liberar e controlar o acesso. O visitante entra em contato diretamente com o morador através do interfone, sendo o próprio morador que libera sua entrada no local.

O sistema é baseado no uso da internet, o que exige precauções para que não falhe, fique lento ou fora do ar. Assim como a queda ou falha de energia elétrica interrompe o funcionamento do sistema, se não houver gerador ou nobreak no local.

Mesmo funcionando perfeitamente, a portaria virtual não foi projetada para assegurar a proteção dos condomínios contra tentativas de invasão no prédio, ou restringindo a entrada de pessoas não autorizadas, bem como não mantém registro ou controle de acesso.

Portaria virtual como funciona: Diferentemente do que pode parecer, a portaria virtual possui muitas desvantagens, pois não se trata de um sistema completo de segurança. Seu foco é muito mais autonomia do que garantir a proteção de condôminos e melhorar a gestão condomínio.

Não identifica pessoas

Com a portaria virtual, todos os condôminos podem abrir a portaria para estranhos sem verificar quem é. Mesmo que a pessoa vá até a portaria para verificar quem é, já existe risco nesse contato próximo.

É necessário ter certeza de quem está sendo liberado para entrar no condomínio. Isso é o mínimo indispensável para que desconhecidos não consigam ter acesso ao interior do prédio.

Não possui registro de entrada e saída

Quando existe um porteiro, uma de suas funções é anotar a entrada e saída de pessoas, com nome e horário. É sempre recomendável que os porteiros mantenham esse caderno de atas atualizado.

Esse registro é uma das medidas de segurança, pois em caso de alguma irregularidade, é possível identificar quem esteve no local aquele dia. Serve também como indício em casos mais graves, que envolvam a polícia.

Mas, ao substituir o porteiro pela segurança eletrônica, como esse controle de acesso pode ser feito? No caso da portaria virtual, existe essa desvantagem, pois não é possível ter esses registros. Como a comunicação é feita diretamente com o condômino e também não há instalação de vídeo monitoramento, a entrada de saída tanto de moradores quanto de visitantes, ficam registradas.

Falhas técnicas

É comum para qualquer tipo de serviço eletrônico ser suscetível a falhas técnicas. O problema é quando isso põe em risco a segurança de pessoas e locais. Problemas com portões que param de fechar corretamente, ou algum defeito no sistema precisam ser informados à empresa responsável imediatamente.

A implementação tecnológica nunca pode deixar de ser assistida por alguma pessoa capacitada. Uma central de monitoramento 24 horas é o meio mais eficaz e econômico de fazer isso.

Deixar o acesso ao condomínio algo totalmente automatizado e sem supervisão humana significa abrir margem para a insegurança, confiando em um recurso suscetível a falhas.

Sistema lento

Apesar de ser parte de novos recursos tecnológicos, a portaria virtual não é um sistema ágil. E isso pode ficar ainda mais pronunciado devido a lentidão da rede de internet, onde o sistema está conectado. Qualquer um que use internet sabe que ela pode oscilar ou falhar em algum momento, mesmo que seja rápido. Isso vai diminuir a eficácia da portaria virtual, podendo até deixa-la inativa.

Existem maneiras de prevenir isso na segurança eletrônica, mas a portaria não é completa a ponto de prever e evitar essa vulnerabilidade. O uso de gerador ou nobreak e uma linha extra de internet podem prevenir essas situações.

Uma portaria vulnerável não é uma boa opção de recurso nem para a segurança nem para realizar a acessibilidade maneira rápida.

Não garante a segurança

Se a intenção do condomínio é melhorar a segurança e a gestão, a portaria virtual pode apresentar desvantagens que caminhem de encontro com essa ideia. Ela não inibe a ação de criminosos, pelo contrário, acabam ainda mais desprotegidos do que com a presença de um porteiro.

Diminuir os custos não valem a insegurança que os condôminos ficarão expostos. Substituir o porteiro tradicional pela segurança eletrônica deve significar melhorias e economia, sem diminuir a qualidade de um serviço indispensável.

Diferentemente da portaria virtual, a portaria remota não deixa o sistema de segurança eletrônica sem supervisão. Sem a presença de um porteiro, a portaria remota conta com uma central de monitoramento 24 horas que controla a entrada e saída do prédio.

  • Acesso

O acesso dos moradores ao condomínio acontece por meio de identificação biométrica, QR code ou tag. Já os visitantes têm sua entrada permitida através da comunicação atendentes da central de monitoramento, que entra em contato com o condômino ele estando ou não em casa.

No entanto, as empresas mais atualizadas contam com o QR code, muito mais prático para os condôminos e também para os visitantes, já que moradores podem enviar o QR code para seus visitantes terem um acesso mais rápido.

  • Prevenção

Já no caso da vulnerabilidade que a portaria virtual possui devido às falhas técnicas, a portaria remota tem meio de prevenir essas situações. Em caso de falha na rede elétrica, conta com gerador ou nobreak. Em caso de a internet oscilar, possui uma segunda linha para garantir que a conexão não seja interrompida. E sobre falhas pontuais como portões lentos ou com problemas de fechamento, a central de monitoramento faz o acompanhamento desse recurso.

Muitos se questionam se a portaria remota é segura e, em geral, os procedimentos são considerados mais eficazes, uma vez que evita falhas que podem ocorrer quando existem um porteiro fisicamente no prédio.

  • Controle e registro de acesso

No caso da portaria remota, existe o vídeo monitoramento para substituir os registros que o porteiro faria em um livro.  Mantendo um acervo de imagens que podem vir a servir de provas.

  • Pontos positivos

Os pontos positivos mais relevantes da portaria remota são:

  1. Redução no custo com funcionários
  2. Diminuição do risco de sofrer processo trabalhista
  3. Melhora a segurança, uma vez que não existe porteiro que pode ser rendido por criminosos
  4. Com a instalação de câmeras nas áreas comuns, o prédio terá mais segurança
  5. Economia de tempo e recurso investidos em treinamento de funcionários
  6. Funcionamento 24 horas

Portaria remota em São Paulo: conheça a Radcom Alarmes

Agora que você já sabe como a portaria virtual funciona — e que a portaria remota é um sistema mais atual e completo —, comece a fazer as melhorias no seu condomínio e traga mais economia, automação e segurança para os condôminos.

Com 30 anos de experiência em segurança eletrônica, a Radcom Alarmes oferece serviços como portaria remota e vídeo monitoramento. Sempre aplicamos soluções sob medida para atender as necessidades dos nossos clientes e do condomínio.

Nossos serviços têm como objetivo reduzir os custos do condomínio relacionados à segurança, trazendo a segurança eletrônica como solução de economia e proteção.

Como diferencial, temos um aplicativo próprio para acesso dos nossos clientes à portaria remota, sistema de alarmes e sistema de imagens.

A Radcom Alarmes é sócia fundadora da ALAS (Associação latino-americana de segurança), da qual também possui sua Certificação.

Entre em contato com a Radcom Alarmes

Fale conosco e conheça as nossas soluções para tornar seu condomínio mais seguro e os custos mais econômicos. Ligue para (13) 3301-6474 | (11) 5095.4667 | (11) 2172-3266, mande uma mensagem pelo WhatsApp, envie um e-mail ou preencha o formulário do site.


A Radcom Alarmes é uma empresa que oferece serviços relacionados a e segurança eletrônica, como portaria virtual e vídeo monitoramento. Atendemos as zonas leste e sul de São Paulo e cidades da Baixada Santista, como Santos, Bertioga e Guarujá.