Circuito de monitoramento é sinônimo de segurança para condomínio

12 de fevereiro de 2021

O circuito de monitoramento conecta dispositivos a uma central que se comunica 24 horas com o setor de operações. Isso pode ser feito com alarmes e sensores, como também com um circuito CFTV (circuito fechado de TV).

Os dispositivos instalados fazem parte de um sistema de segurança eletrônica que mantém contato com a central de monitoramento, responsável por receber, analisar e armazenar dados — seja informações com ou sem imagens.

Isso possibilita tomar uma medida preventiva ou reativa em situações de perigo de forma imediata, a partir do circuito de monitoramento, quando as informações ou imagens indicarem a necessidade de alguma ação.

Para saber melhor como funciona o circuito de monitoramento, acompanhe o texto e fique por dentro dos detalhes desse serviço essencial para a segurança de condomínios.

Se preferir, clique direto no tópico:

O que é circuito de monitoramento?

Como funciona o circuito de monitoramento?

Quais os tipos de circuito de monitoramento?

1 – Circuito CFTV

2 – Circuito de monitoramento por sensores

Quais os tipos de sensores existentes para monitoramento?

O monitoramento é o serviço de acompanhar o funcionamento de um local, analisando os dados obtidos a partir disso, e interferindo quando necessário. Ou seja, quando o funcionamento do local foge à regra, o monitoramento age para que volte à normalidade.

De forma prática, em condomínios, o circuito de monitoramento acompanha a movimentação dos condôminos, visitantes, colaboradores e em caso de invasão, roubo, furto, incêndio ou qualquer outro perigo à vida ou à integridade do local, o circuito de monitoramento entra em contato com a central de operações.

Ao acompanhar o condomínio, o circuito de monitoramento extrai informações do dia a dia, o que facilita ao tomar uma decisão de interferência. Então, é possível agir de forma correta com as intervenções, no tempo necessário que a situação exigir.

O objetivo do serviço de circuito interno de monitoramento é detectar, em tempo real, ações que vão de encontro à segurança do local. Então, o quanto antes, tomar decisões que reestabeleçam a segurança.

O monitoramento pode incluir apenas o uso de alarmes e sensores ou, a forma mais completa, incluir também o circuito interno de TV. Onde a central de monitoramento pode assistir às imagens, o que facilita e potencializa a ação e a segurança do local.

O Circuito CFTV (Circuito Fechado de TV) é o monitoramento através de imagens e sensores.

As imagens captadas por um conjunto de câmeras de segurança instalado são transmitidas em tempo real a uma central de monitoramento para serem acompanhadas e gerenciadas 24 horas.

Esse videomonitoramento pode ser feito no local ou de forma remota. O circuito interno de TV é um circuito fechado, ou seja, as imagens captadas pelas câmeras de segurança só podem ser vistas pelos equipamentos credenciados.

Uma das formas de realizar o monitoramento pelo circuito CFTV é com softwares de câmeras com reconhecimento de imagem. Esse tipo de câmera pode identificar rostos e até reconhecer certos eventos e agir como um sensor, traçando um perímetro e identificando quando ele for cruzado.

Essas câmeras também podem emitir alarmes para a central de monitoramento para que o operador analise a situação e adote a ação adequada para o momento.

Os sensores são a forma mais básica de monitoramento. No condomínio, é instalado um conjunto de sensores eletrônicos com softwares conectados a uma central de monitoramento.

O sensor é um dispositivo que responde a algum tipo de estímulo, podendo ser:

  • Temperatura;
  • Umidade;
  • Pressão;
  • Movimento;
  • Gases;
  • Luzes.

Esses são alguns exemplos de estímulos que podem passar algum tipo de alteração no ambiente, captado pelo sensor. Sensores podem identificar incêndio através da temperatura e umidade, ou a retirada de um objeto, assim como identificar alguém entrando através dos movimentos.

É dessa forma, com o alerta imediato, que o circuito de monitoramento pode tomar uma a ação a tempo de evitar maiores prejuízos.

Para formar um circuito de monitoramento completo, é necessária a combinação de vários sensores. A escolha depende da necessidade do condomínio, bem como o ambiente que ele será instalado.

A seguir, confira os principais tipos de sensores:

Sensor de invasão

Esse é o principal sensor, pode ser usado em diversos locais além dos condomínios. Ele monitora o ambiente para detectar a presença de pessoas e animais para emitir um alarme na central de monitoramento.

Dentro dos sensores de invasão, existem outros modelos. A escolha varia de acordo com a necessidade.

Sensores de abertura

Ideal para serem instalados em portas e janelas. Assim, sair de casa é muito mais tranquilo. Além disso, pode isolar locais comuns do condomínio que não podem ser acessados sem permissão. Por exemplo, o salão de festa que permanece trancado quando não está sendo utilizado.

Sensores de vibração ou ruído

Esses são colocados, principalmente, em vidros. Condomínios com fachada de vidro podem tirar proveito desses sensores, assim, se houver um impacto forte, o sensor de vibração detecta e emite um sinal. Em caso de quebra, o sensor de ruído é quem emite o sinal. Eles são muito utilizados em vitrines.

Sensores de temperatura e fumaça

Para o sensor de temperatura, é estipulada um valor máximo. Quando o ambiente ultrapassa esse número, ele emite um alarme para a central de monitoramento.

Já o de fumaça reage à presença de gases visíveis ou invisíveis, assim como a produtos de combustão.

Ambos são utilizados para detectar incêndio. O alarme, nesse caso, é imprescindível para evitar a perda de patrimônio e salvar pessoas que não conseguem sair sozinhas.

Além dos sensores e câmeras, o circuito de monitoramento também é composto por alarmes e módulos de conectividade. E, claro, os operadores da central de monitoramento.

Circuito de Monitoramento

O serviço de monitoramento pode deixar o condomínio muito mais seguro. O local passa a ter um time dedicado acompanhando 24 horas os locais mais sensíveis.

É ideal para condomínios de todos os tamanhos, desde que conte com um projeto personalizado que adapte a quantidade e a escolha dos dispositivos.

Quer saber como o circuito de monitoramento pode ajudar seu condomínio? Conte com a Radcom a descubra.

Entre em contato:

Conheça as nossas soluções para tornar seu condomínio mais seguro. Mande uma mensagem pelo WhatsApp ou nos envie uma mensagem aqui no site.

Conheça a Radcom

A Radcom Alarmes possui 30 anos de experiência em segurança eletrônica, oferecendo serviços como monitoramento e controle de acesso (portaria remota). Sempre aplicamos soluções sob medida para atender as necessidades de cada condomínio.

Nossos serviços têm como objetivo reduzir os custos do condomínio relacionados à segurança, trazendo a segurança eletrônica como solução de economia e proteção.

Como diferencial, temos um aplicativo próprio para acesso dos nossos clientes à portaria remota, através do QR CODE, sistema de alarmes e sistema de imagens.

A Radcom Alarmes é sócia fundadora da ALAS (Associação latino-americana de segurança), da qual também possui sua Certificação.


A Radcom Alarmes é uma empresa que oferece serviços relacionados à segurança eletrônica, como portaria virtual e vídeo monitoramento. Atendemos as zonas leste e sul de São Paulo e cidades da Baixada Santista, como Santos, Bertioga e Guarujá.

Faça sua Cotação Online

Conteúdos Exclusivos

Fale pelo Whatsapp